Oliva – Termos do reconhecimento dos créditos (neste caso de alguns trabalhadores)

Página na qual é relevado os termos do reconhecimento dos créditos em causa.

Em resumo, temos:

I – Créditos acrescidos de juros;

II – Não houve contestação, logo foram reconhecidos.

III – …

Anúncios
Publicado em Ano 2010 | Etiquetas , | Publicar um comentário

Fundo de garantia salarial

De modo a esclarecer o assunto “fundo de garantia salarial” deverão ler este GUIA.

Será que a Segurança Social já esclareceu ou está de acordo com os créditos reclamados?… É que ninguém os reconheceu, penso eu. Ou será que reconheceram?!…

Publicado em Ano 2010 | Etiquetas | Publicar um comentário

Oliva – CÓDIGO DA INSOLVÊNCIA E DA RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS

A consulta do C.I.R.E. pode ser efectuada aqui.

Publicado em Ano 2010 | Etiquetas , | Publicar um comentário

Manuel Godinho tenta comprar empresa falida na prisão

A O2, empresa detida pela família de Manuel Godinho, pediu um alargamento do prazo fixado para confirmar a compra da antiga fundição Oliva, em São João da Madeira, por 1,5 milhões de euros, informa o Diário de Notícias

Publicado em Ano 2010 | Etiquetas | Publicar um comentário

Oliva – dúvida

Quais as razões para terem sido graduados os créditos por indemnizações dos trabalhadores em 1,5 meses por cada ano de antiguidade?

Tratou-se de um encerramento ilícito?

Se não, então as indemnizações deviam-se limitar a um mês por cada ano de antiguidade.

Quem está a olhar para este processo? Ou há interesse que ninguém olhe?!…

É que esta brincadeira somente eleva o valor das indemnizações em cerca de 1.500.000,00 euros!…

Publicado em Ano 2010 | Etiquetas | Publicar um comentário

Oliva – questão de abrir os olhos a tempo!…

Rui Abrantes, advogado do Sindicato dos Metalúrgicos de Aveiro, desculpabiliza Elmano Vaz e recordou: “Quando os créditos tiveram que ser reclamados, toda a gente interpôs uma ação e só um grupo de 42 pessoas é que reclamou danos morais, o que, aliás, é uma coisa inédita num processo de insolvência.”

“Como nem a massa insolvente nem os credores disseram nada, o pedido seguiu o seu caminho e o tribunal reconheceu-o”, acrescentou. “O problema é que os outros trabalhadores só abriram os olhos quando já era tarde e agora o administrador diz que não aceita mais nenhum pedido por danos morais”, realçou.

Fonte: a mesma do post anterior

E foram estes advogados que andaram a falar de ceboladas!… Como aprendem facilmente (ou será que andam a ensinar e õs portugueses não sabem?)…

Publicado em Ano 2010 | Etiquetas | Publicar um comentário

O administrador Elmano Vaz diz que a responsabilidade …

… não é sua e que a decisão coube ao tribunal, afirmando: “Quando as pessoas reclamam os seus créditos numa ação judicial, quem sentencia é o tribunal e eu sou alheio a isso.”

Este administrador é um senhor do norte!

Publicado pela Lusa: Ver todo o artigo.

Publicado em Ano 2010 | Etiquetas | Publicar um comentário